quinta-feira, 15 de julho de 2010

Arrotos de alegria


De fato não cai bem as figuras de melancólico e emburrado.
Ainda que as contradições nos levem todos a nuances como as tais e outras tantas, prefiro mesmo simplesmente a figura do palhaço despreocupado e brincalhão.
Já que este espaço é tão lido (será?!?) é melhor mesmo dar uma bicuda na dita melancolia.
Não vou prometer que ela voltará.
Afinal, madrugada a mais, madrugada a menos, ela pode me flagrar por aí e voltar a me abraçar.
Mas voltemos à alegria.
Ando precisando arrotar mais alegria e felicidade.
Ainda que seja mal-educado arrotar, é melhor que assim o faça.
Afinal, venho tendo mesmo muitos mais motivos para sorrir do que me entristecer.
(Abre parênteses: né? Sorrisos, passeios, almoços, ligações, viagens, manhãs, tardes, noites, etc, etc. Coisas que fazem a vida).
Pronto?
Melhor!
E que a noite se faça dia, ainda que mais tarde o dia vá se tornar noite.
Mas essa é uma outra história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário